Nossa História

Reminiscência de nossa escola

A fonte deste texto é o trabalho “Reminiscência de nossa escola” elaborada pela Diana Caroline Ferreira Castilho, aluna do 2º EM, sob orientação do prof. Sidney (história).

O Projeto histórico “Reminiscências de nossa escola” tem como objetivo, resgatar e informar a memória oculta do Colégio Objetivo de São Roque a todos aqueles que fizeram e fazem parte dessa história, que tem seu inicio no final da década de 50, em um período marcado por mudanças mundiais, nacionais e regionais, a cidade de São Roque é exemplo dessas mudanças que ocorreram tanto no âmbito cultural, econômico, territorial, político, quanto educacional.
A Escola Técnica de Comercio Barrão de Piratininga atravessou as décadas 50, 60, 70, chegando aos anos 80 como Colégio Objetivo São Roque, e assim, seguindo até os nossos dias. São exatamente essas décadas que o projeto abordará, apontando as mudanças que ocorreram durante esses anos, que levaram a formação dessa instituição de ensino.
Através dessa pesquisa pode-se perceber uma mudança drástica na educação no municio de São Roque, do final dos anos 50 até a atualidade. Em uma época em que a educação pública era de qualidade, havia filas para vagas nos colégios públicos, onde a seleção era feita através de provas exaustivas e exigentes, em que somente os bons alunos acabavam passando, a direção era severa e exigia respeito a todos que ali freqüentavam e demonstrava autoridade. Nesta época os colégios particulares eram para os alunos de ótimas condições financeiras ou que acabavam não sendo selecionados para os colégios públicos.
Com o passar dos anos, começaram a haver irregularidades no ensino publico, falta de professores e a deterioração das instalações, fazendo com que o ensino não fosse mais o mesmo. Durante esta transição acabaram surgindo algumas instituições de ensino privados, com o intuito de proporcionar uma educação de qualidade com boa infraestrutura. Estas instituições começaram a crescer e a se desenvolver, não somente na cidade de São Roque, mas também nos municípios ao redor.

O início
O final dos anos Dourados é marcado por grandes mudanças como avanços científicos, tecnológicos, mudanças culturais e comportamentais. Em âmbito mundial se firmava o confronto entre os blocos capitalista e socialista, inicia a Guerra do Vietnã, o rock começava a conquistar multidões através de Elvis Presley, surge à banda Beatles e o inicio das transmissões televisivas modificando os meios de comunicações.
Já no Brasil Juscelino Kubitschek é eleito presidente, inicia-se a construção de Brasília que será a futura capital do país. Com João Gilberto, Tom Jobim e Vinícius de Morai, a Bossa Nova começa a fazer sucesso, a mulher passa a ter mais feminilidade em roupas e maquiagens. Em São Roque as mudanças eram progressivas e contínuas, através de maiores investimentos e planos de governo, eleições municipais, formação de grupos escolares, ampliação cultural e esportiva, perda de território através da emancipação da Vila Mayrink, assim cidade vai se desenvolvendo sem perder suas tradições e costumes como, por exemplo, as festas típicas.
No início da década de 50, a Vila de Mayrink emancipa-se de S.Roque e torna-se uma cidade autônoma e independente. Em meio a sua estruturação política surge a Escola Técnica de Comercio Barão de Piratininga, fundada em 26 de Agosto de 1958, com sede no Grupo Escolar Prof. Manoel Martins Villaça, localizada na Avenida Doutor Gaspar Ricardo Júnior, numero 17, no centro de Mairinque.
Seus fundadores são Prof. Fabio Teixeira, Prof. Simas Enéas Lopes de Mello e Prof. Hereles Reis, todos de São Roque, tendo suas atividades educacionais iniciadas no ano letivo de 1959 com o curso de técnico em Contabilidade. O nome Barão de Piratininga foi escolha dos próprios fundadores, em homenagem a uma figura de grande representatividade ao município de São Roque e a região.

Transição
Desde sua fundação em 1958, a E.T.C “Barão de Piratininga”, funcionava no Grupo Escolar Prof. Manoel Martins Villaça, um prédio público funcionando na parte da noite. No final da década de 1960 o Estado acaba não renovando a autorização de uso do prédio do grupo escolar. Com a necessidade de mudança para outro local é feita nova sociedade em 10 de setembro de 1968, com a inclusão de seis novos sócios: Ronaldo Ribeiro, Luiz Wille Mirim, Gerson Nastri, Joaquim Nastri, Julio de Lucca e Miguel Franco Filho, que levam a instituição para São Roque e a instalam no antigo prédio “Gancia”, na Av. João Pessoa, 157, centro do município.
A Escola Técnica de Comercio “Barão de Piratininga”, passa a ser o Colégio Comercial “Barão de Piratininga” oferecendo, no período noturno, cursos de contabilidade, secretariado, segurança do trabalho e ginásio de comércio; no período da manhã, o curso do ginásio de comércio e no período da tarde a Escola Primária “Manuel Bandeira.
Na década 70 através de um convênio com a Prefeitura de São Roque a escola mudou-se para a Av. Tiradentes, 550 no centro de São Roque onde encontra-se até hoje.
Com esta mudança, outras aconteceram: o Colégio passa a integrar o Centro Educacional Objetivo, utilizando o material específico e uma nova sociedade passa a gerir a escola: Ronaldo Ribeiro e Julio de Lucca, Luiz Antonio Beldi Castanho, Oscar Fonseca Vieira, Luiz Samuel Tabacow.

Década de 1980 e 1990
A década de 1980 tem grande importância para a história do último século, com grandes acontecimentos políticos e sociais. Período considerado como o fim da era industrial e início da era da informação. O mundo passava pelo período do fim da Guerra Fria, sofria a morte do músico John Lennon, que é assassinado nos Estados Unidos, chocava-se com a descoberta da AIDS, encantava-se com os Jogos Olímpicos de Los Angeles e o desenvolvimento de computadores pessoais e o CD.
O Brasil lutava pelo fim da ditadura militar, via nascer o Partido dos Trabalhadores (PT), alegrava-se com a Lei da Anistia e a primeira vinda do Papa ao país, mais à frente chorava a Morte de Tancredo Neves e comemorava o fim da ditadura e do militarismo, além da Nova Constituição.
Em São Roque o período é marcado pelas falhas na infraestrutura da cidade, a implantação de novos bancos, inicio das escolas de samba, articulação do PMDB no municipio, melhorias na Castello Branco e alta dos esportes em São Roque.
Nessa época houve uma grande procura pela escola por parte de alunos oriundos das cidade circunvinhas, Mairinque, Ibiuna, Vargem Grande Paulista e Cotia. Todos esses alunos foram privilégiados com as transformações que ocorreram no Colégio Objetivo de São Roque, como a introdução de laborátorios, quadras esportivas e a biblioteca. Todos esses investimentos valorizaram a escola e principalmente, incentivavam a criação de novas escolas particulares, a melhoria das já existentes e a influênciou na melhor estrutaração das escolas públicas do municipio de São Roque.
A contratação dos professores do Colégio Objetivo, era feita com muito rigor pela coordenação, tinham preferência aqueles que já trabalhavam com o material de ensino Objetivo. Eram muito bem vistos e queridos por todos, pois os alunos os tinham como ídolos.
A relação entre alunos, professores e funcionários, sempre foi muito boa. Desde sua fundação o respeito e a confiança sempre houve, assim como deve ser em qualquer ambiente escolar. Ancorada nestes princípios a instituição se consolida, sendo respeitada em todo o municipio, pois passa a ser referência de educação, ensino e aprovação nos vestibulares.
Já nos anos 90, dita por alguns a década mais medíocre do século XX, porém a década da Nova Ordem, globalização da economia, novas relações, formação de blocos econômicos, revolução das comunicações e o auge dos nacionalismos. O mundo via o término da Guerra Fria com a queda do muro de Berlin, a criação do NAFTA, o pop revela grandes vozes ao mundo, a morte da princesa Diana, a formação da União Européia, a clonagem da ovelha Dolly e a popularização do computador pessoal e da Internet.
O Brasil passava por um dos momentos mais difíceis de sua economia, o confisco das contas correntes, aplicações financeiras e das cadernetas de poupança pelo presidente Fernando Collor, gerou um período de hiperinflação que vai gerar a criação de uma nova moeda no país, o Real. Comemoramos a conquista da copa de 94 e sofremos a perda da copa de 98.
O perfil doa alunos se mantém o mesmo, de classe média e média alta. A imagem do Colégio se torna cada vez melhor, pelas maiores aprovações nos vestibulares e por sempre estar à frente do seu tempo, em relação ao material didático, professores e infraestrutura.
A infraestrutura da escola, com o passar do tempo foi mudando e se adequando as normas da Secretária da Educação, sistema Objetivo de Educação, as necessidades dos alunos e às exigências da sociedade. Reformas na biblioteca, pátio, laboratórios, recepção, quadra, cantina e criação de novas salas de aula; foram essenciais para que o Colégio Objetivo “Barão de Piratininga”, pudesse proporcionar uma melhor educação e continuasse sendo referência de ensino em toda a região.

Anos 2000
A década dos avanços tecnológicos: aumento da banda larga e Bluetooth, dos conflitos políticos internacionais, atentados terroristas, descoberta de novos planetas. No Brasil a década é marcada pelo governo de esquerda, consegue a estabilidade econômica através do acúmulo de reservas cambiais, cessa sua dívida com FMI, além de ser eleito para sediar a Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016.
Em 9 de Setembro de 2000, o Colégio Objetivo “Barão de Piratininga”, inaugurou os seus novos espaços, sendo eles: pátio, ginásio poliesportivo, salas de artes, música e judô. As mudanças na infraestrutura do Colégio foram melhorando ao decorrer da década, a biblioteca e a cantina, por exemplo, foram reinstaladas e reformadas, para atender melhor aos alunos.
Pode-se dizer que em 2010, O Colégio Objetivo “Barão de Piratininga”, conquistou através de seus alunos, resultados expressivos em diferentes frentes de avaliações, como ENEM, FUVEST, UNESP, entre outras. No município de São Roque é referência de ensino, pela sua qualidade de infraestrutura, material didático e excelência de seus funcionários altamente qualificados, proporcionando a seus alunos não só educação de qualidade mais uma segunda casa.

Atividades
O Colégio Objetivo São Roque, desde o seu inicio em 1980, incentivou e apoiou atividades extracurriculares, sendo essas esportivas, culturais ou informativas. Os diretores sempre pautaram por desenvolver atividades que trouxessem mais conhecimento e desenvolvessem a sensibilidade, coordenação motora e raciocínio lógico.
Nos anos 80, as atividades extracurriculares já eram muito comuns, havia aulas de tênis de mesa, xadrez, palestras informativas sobre saúde, vestibular e temas da época; atividades esportivas como: voleibol, basquete e futsal chamavam bastante a atenção dos alunos. As atividades culturais também tinham o incentivo do colégio, exemplo disso era a fanfarra
Hoje se pode dizer que o Colégio Objetivo oferece uma grande possibilidade de cursos extracurriculares; no ensino infantil, através de atividades como: música, dança moderna e judô; no ensino fundamental: dança moderna, música, judô, basquete, handebol e voleibol; já no ensino médio as atividades são mais amplas visando o vestibular, surgem assim: Plantões (diversas matérias, para auxiliar no desempenho escolar), palestras com profissionais de áreas específicas (medicina, engenharia, direito, etc.), debates em épocas de eleições, excursões para feiras de profissões, aulas de literatura; tudo para auxiliar mais rapidamente o ingresso do aluno em grandes universidades, mantendo também atividades esportivas como: handebol e judô.

Eventos
Com a preocupação de proporcionar aos alunos momentos inesquecíveis no colégio e unir família e escola, o Colégio Objetivo desde o inicio promoveu festas comemorativas, como: carnaval, festa junina, páscoa, dias das mães, dias dos pais, dia do Índio, dia das crianças; sempre respeitando as diferenças e a individualidade de cada aluno e sua família, de forma a deixar um ambiente de confraternização entre todos
Não se prendendo só a datas comemorativas, o Colégio Objetivo, através de sua direção promove exposições com trabalhos realizados pelos próprios alunos da escola, com um tema central e cada série elaborando sua frente de trabalho. Investindo em uma forma diferente e fácil de aprender e sempre obtendo bons resultados.
O incentivo à cultura e educação, não se prendem só ao ambiente escolar. Por esse motivo visitas a museus, teatros, parques e centros culturais, são sempre realizadas independente da série, pois a bagagem cultural e o conhecimento tem que ser estimulado a qualquer fase do aprendizado.

Família e escola
Nos últimos anos, é visível o aumento da participação dos pais na escola, não só nos momentos de repreensão, mas também em festas, reuniões, apresentações, exposições e acompanhamento escolar diário de seus filhos. Aproximando pais e filhos, que com a correria do dia-a-dia acabam não tendo dialogo, e com o passar do tempo se afastam cada vez mais.
As constantes mudanças pelas quais a escola passou denotam a busca constante pela excelência do Ensino e atualização.
O Colégio Objetivo S. Roque sempre se preocupou em estar à frente do seu tempo, sendo uma alternativa para os pais e alunos e, como não podia ser diferente, participando ativamente da comunidade sanroquense.
Por tudo isso é que nos orgulhamos da nossa história e a compartilhamos com todos vocês.

Direção Administrativa:
Sr. Marcelo Massad de Lucca
Sr. Ronaldo Ribeiro
Coordenação Geral:
Srª Miriam Maluf
Secretária:
Srª. Izaura Francini Tanzi